sexta-feira, abril 29, 2005

não a nada como...

"povo de estrelas"
que não precisam de notas musicais
nem de fórmulas que são signos
nem signos que são desenhos
povo das estrelas
que não precisam de linhas de nanquim
nem de caminho que é repetição
nem repetição que é mesmo
povo das estrelas
que não querem parte que parte
não querem fim que é fim
mas querem sim
eu sei que querem...

quarta-feira, abril 27, 2005

rugas

para mãos em água gelada
coisinhas amarrotadas

sexta-feira, abril 22, 2005

L-E-T-R-A-S

UNIR VERSOS?
INUNIVEIS...
OS VERSOS SE BASTAM SÓ

terça-feira, abril 19, 2005

encontro

JOELHO COM JOELHO
PRA NÃO CAMINHAR

segunda-feira, abril 18, 2005

HORA

por minutos
e meses
a gota
do agora

sábado, abril 16, 2005

bailarino

por perto nego
de perto cego

um caminho no ar
uma "estrela fugaz"

os dedos que dançam
e fogem

sexta-feira, abril 15, 2005

procuro

onde está minha medida
desmedida?

quarta-feira, abril 13, 2005

tento

tanto tanto que desperdiça
o quanto de medida
desmedida enobrece
o frio triste
carece

terça-feira, abril 12, 2005

segunda-feira, abril 11, 2005

duplo

vinho - performance
cabeça - amor
teatro - café
casa- apartamento
sorvete - futebol
sono - sono
fito paez - tom zé
água - água

quinta-feira, abril 07, 2005

deixar

Que escapem os projetos,
Que escapem as idéias e os processos
Que as crianças sejam
Sapo, mesa, dor, planta, cor
E que isso passe
.que passe.

quarta-feira, abril 06, 2005

para um músico de nanquin (e que ele leia)

triste
três
o canto em linhas
é triste
e termina
e invade e constrói
e dói

domingo, abril 03, 2005

nota-sombra

uma linha que quer continuar.
mas se perde, se desconfigura, se simula gente.

linha que é pauta
que aprisiona a nota
A luz que não se curva
aos caprichos da sombra

porque a sombra quer ser luz (?)
e a luz não faz curva
e por isso,
faz sombra.

sábado, abril 02, 2005

sonolento

A água gelada está na janela

É um universo


Fabuloso complemento