domingo, agosto 05, 2007

(quase) brancos

tinham aqueles pequeninos de cabelos quase brancos que estavam a inventar palavras novas ao pé do meu ouvido. quase como um grito.
um dia eles foram embora matar saudade em outro lugar.
e então vieram alguns grandões de cabelos brancos mesmo que ficaram a inventar palavras mesmas ao pé do meu ouvido. quase como um sussuro.
e eu obedeci.

4 comentários:

Anônimo disse...

meu diabinho paranóico tinha razão: é de mim mesmo que isto aqui fala! o problema é quando os pequenos brancos dão origem a ainda mais pequenos (e ralos) e assim por diante, até não mais existirem nem mesmo pequenos e consequentemente nada de brancos.

Anônimo disse...

c'est le fin du fin!

bianca disse...

A cor do branco fugiu... a Mayra faz fugas com os seus pequenos brancos... e nós? fugimos dos bancos... café-da-manhã-manhã-de-maquinações-amizade-punctum...

L. Rafael Nolli disse...

Mayra, chega um dia que nos entregamos - por medo de algo, ou por nos mesmos estarmos mudados, termos crecidos o suficiente para entender os sussuros. agora nos mesmos já totalmente brancos ou em visível transformação! GOSTEI! Abraços para ti!