segunda-feira, janeiro 28, 2008

e era disso que se fugia, e era isso que se procurava

"um mínimo pleno de tudo o que se pretende.
um tanto mais que der de tudo o que se quer".

(para o dia 30).

4 comentários:

Anônimo disse...

et pour toute la vie, encore...

bises.

monsieurdã.

MayrA disse...

pour toute la vie parce que ces`t la vie, oui?

[...] disse...

O segredo da Busca é que não se acha.
Eternos mundos infinitamente,
Uns dentro de outros, sem cessar decorrem
Inúteis; Sóis, Deuses, Deus dos Deuses
Neles intercalados e perdidos
Nem a nós encontramos no infinito.
Tudo é sempre diverso, e sempre adiante
De [Deus] e Deuses; essa, a luz incerta
Da suprema verdade.


Primeiro Fausto
O. C., VI v., 1952, p. 79.
Fernando Pessoa - Poemas Ocultistas

mayra disse...

é a multiplicidade, que tanto nos assombra...